Monthly Archives: September 2015

Lojas de auto peças adotam Pinpad

pinpad

O Pinpad é um leitor de cartões ideal para um sistema de vendas

O Pinpad é uma das ferramentas que têm colocado as lojas de auto peças no século XXI. Ele faz parte do sistema de gerenciamento de vendas e funciona conectado ao computador do caixa pela entrada USB ou a porta serial paralela. O Pinpad é um leitor de cartões de crédito e débito que efetua a cobrança conforme a orientação do sistema. É um jeito de integrar a vendas das unidades e a receita que entra.

“O Pinpad se tornou fundamental para a organização da loja. Trabalhamos com milhares de produtos diferentes e temos investido em leitores de código de barras e em um sistema de controle de estoque. A organização tem melhorado o atendimento, e os clientes estão mais satisfeitos. A escolha do Pinpad como plataforma de transferência eletrônica de fundos foi uma extensão do sistema e uma indicação tanto do nosso técnico em informática como da contabilidade”, explica o empresário Arnaldo B. Di Mateo, dono de uma auto peças com dez funcionários na Avenida dos Autonomistas, em Osasco, grande São Paulo.

Com o Pinpad é possível receber pagamentos com cartões de crédito e débito das principais bandeiras do mercado com eficiência e segurança. As senhas são criptografadas para evitar vazamento de informações, e o sistema interage diretamente com o banco que autoriza ou não a operação.

“Muitos clientes nos perguntam por que usamos o Pinpad, e não aquelas maquinas portáteis, e a resposta é sempre em cima do nosso sistema que ao mesmo tempo que cadastra a venda, também arquiva a movimentação financeira. Para a administração da loja é muito melhor, você consegue ter todas informações, as vendas parceladas, e um controle maior”, diz Guilherme Madeira, também empresário do ramo, dono de uma loja na Saúde, bairro na zona sul da capital paulista.

Entretanto, há algumas situações em que não é possível receber os pagamentos via Pinpad. No setor de auto peças, muitas vezes não é o consumidor quem faz a aquisição dos componentes, mas sim os centros automotivos e oficinas mecânicas.

“Em algumas situações, o dono do automóvel nem imagina qual é o problema do carro, ou que peça comprar, e dá carta branca para o mecânico deixar o carro em perfeito estado. Então, ao identificar as peças desgastadas, ele nos solicita o orçamento por telefone. Neste caso, há duas opções: ou nós criamos uma conta mensal para o mecânico, que cobra a peça do cliente e nos repassa um valor consolidado no final do mês, ou o cliente estando na oficina no momento do reparo, ele faz o pagamento com uma máquina de cartão portátil. Assim, o dinheiro cai direto na conta e usamos o comprovante da máquina como um recibo, que representa aquele valor transferido eletronicamente. Dá mais trabalho que usar o Pinpad, mas é um canal diferente de venda, e uma forma extraordinária de chegar ao cliente final, pois ao manter uma boa relação com algumas mecânicas atingimos muito mais gente, e esta é a parte mais importante”, finaliza Guilherme.