Desktop: banda usa o computador no palco

By | March 13, 2015
desktop lenovo

O Desktop é responsável por efeitos que aumentam o profissionalismo do show

O computador Desktop é um dos equipamentos mais polivalentes do nosso planeta. Ele pode ser empregado em praticamente todas as atividades. Mas muitas vezes no dia a dia, nós ainda nos deparamos com situações curiosas, que fogem do convencional, e causam surpresa no público. Uma delas é ver uma banda de garagem, usando um Desktop no palco. A cena independente de música aqui no Brasil é muito forte, não só no rock e rap na região sudeste, como em ritmos regionais no norte e nordeste do país e há muitos investimentos em estrutura de som por parte das bandas, que se promovem através dos shows, construindo uma base sólida de fãs.

“Não acreditei quando vi o tecladista carregando um computador Desktop para o palco. Pacote completo, monitor, teclado, e tudo mais. Não sabia se ele ia tocar ou conversar no MSN com os amigos”, brinca o estudante Breno Menezes Gouveia, ao comentar sobre o show da banda JellyBelly, no Garotos Perdidos Bar, localizado na zona leste de São Paulo. O espaço recebe bandas cover, e também autorais, do bairro para entreter seu público, em maioria fãs das variadas vertentes de rock and roll.

Usar um desktop no palco não é uma ideia original, a maioria das bandas profissionais emprega muito mais recursos do que apenas baixo, guitarra, bateria e voz. Tanto em estúdio como ao vivo, há todo um apoio para que o resultado do show seja bom. A surpresa foi encontrar essa disposição de oferecer o máximo de qualidade, em uma banda amadora, que ainda está no início de carreira.

A ideia do desktop surgiu para ampliar as opções de timbres e distorções do teclado. Segundo o tecladista Quinho Oliveira, todos os integrantes da banda são fanáticos pelo Faith No More, e inclusive tocam diversas canções do grupo americano no show.

“O desktop no palco, conectado ao teclado, foi uma opção que encontramos para que o nosso instrumento pudesse soar de maneira profissional, para conseguir o mesmo resultado, só com o teclado, precisaríamos de um equipamento muito mais caro. Esta é uma forma de estender a capacidade o instrumento. Como o teclado é basicamente um piano eletrônico, podemos mudar sua sonoridade para criar efeitos que levam as nossas composições a outro nível de qualidade. E mesmo nas canções tributo, alcançamos um resultado muito próximo do original, que é um orgulho para nós podermos representar bem os nossos ídolos”, completa o músico.

O próprio dono do bar ficou animado com a novidade. “Nós recebemos bandas de todos os estilos, dentro do rock, e o JellyBelly foi a primeira a usar um computador Desktop durante o show. Eu me amarrei, achei o resultado muito legal, tudo que puder ser feito para melhorar a qualidade da apresentação é válido”, afirma Renê Marques, que já agendou outras duas datas para receber a banda em seu palco.