Impressora não fiscal é usada nas bilheterias do Cristo Redentor

By | February 2, 2015
impressora nao fiscal

A impressora não fiscal permite produzir até 100 ingressos por hora

A impressora não fiscal dos pontos de venda de ingressos para acessar o Parque Nacional da Tijuca, onde fica a Estátua do Cristo Redentor, provavelmente é a que mais trabalha em todo o Rio de Janeiro. Uma das sete maravilhas do mundo, o monumento é ponto de passagem obrigatório para todos que visitam a capital carioca.

“Esta é uma das vistas mais belas do planeta. Não se tem muita noção, lá de baixo, onde este ponto parece tão pequeno, mas tudo é deslumbrante daqui de cima. Gostamos muito do atendimento, e a tecnologia das bilheterias, com computadores e a impressora não fiscal, tudo muito organizado”, comentam o casal de ingleses Robert F. Hollow e a namorada Rachel W. Fitzgerald. “O Rio é lindo, estamos adorando”, eles comentam.

Como há entradas de valores diferentes, os funcionários utilizam a impressora não fiscal para criar na hora os tickets dos turistas, conforme o volume a necessidade. “Temos em um dos lados, uma imagem base que divulga o nosso parque e o outro lado em branco. A impressora não fiscal recebe as informações do sistema e coloca o valor, a data e um código de barras para controle no lado em branco”, conta o funcionário do parque Kennedy G. de Oliveira. “Na época de férias, ou em épocas festivas como sempre é o carnaval, ou foram a Copa do mundo e a Jornada Mundial da Juventude, temos filas quilométricas e precisamos de equipamentos que deem conta do recado”, ele adiciona.

A impressora não fiscal é um periférico indicado para o uso comercial. Alguns modelos, como os empregados no Parque Nacional da Tijuca, conseguem uma taxa de impressão de cerca de 300 mm por segundo. “A impressora não fiscal usa a tecnologia de transferência de calor para poder criar marcas no papel, escurecendo partes especificas para formar o alfabeto ou imagens, além e códigos de barras. Temos grandes fabricantes que ainda apostam neste mercado, inclusive alguns nacionais como a paranaense Bematech, mas a líder é a poderosa Epson”, afirma o analista de suporte Giancarlo K. Dellano.

A impressora não fiscal é tão importante porque há várias formas de ir até o Cristo Redentor. E cada uma delas tem um preço específico. Você pode comprar um pacote em vários pontos autorizados espalhados pela cidade, que vão incluir o deslocamento do seu hotel até o parque. Outra forma é ir até a estação do Cosme Velho e pegar o Trem do Corcovado, um bondinho charmoso, que leva os turistas por uma linha em meio a mata atlântica em uma experiência imperdível.

Por fim, é possível ir de carro até a estação Paineiras que conta com uma outra bilheteria e estacionamento. De lá, o passageiro escolhe, pegar o bondinho para os últimos metros até o topo do Corcovado, ou fazer a subida com as vans disponibilizadas pela administração do parque. Independente de qual for a escolha, a diversão está garantida e como dizia o antigo sambista, todos devem aproveitar: “O Rio de Janeiro a noite é a segunda cidade mais bonita do mundo. Só perde para o Rio de Janeiro em dia de sol”.